DESTRUIÇÃO DAS ARMAS QUÍMICAS DA SÍRIA AMEAÇAM O MEIO AMBIENTE -->

sábado, 28 de dezembro de 2013

DESTRUIÇÃO DAS ARMAS QUÍMICAS DA SÍRIA AMEAÇAM O MEIO AMBIENTE

DESTRUIÇÃO DAS ARMAS QUÍMICAS DA SÍRIA AMEAÇAM O MEIO AMBIENTE

A destruição de parte do arsenal de armas químicas da Síria a bordo de um navio dos EUA implica "riscos múltiplos", e este procedimento nunca foi testado no mar, alertou um observador ambientalista francês.

Especialistas internacionais reunidos na Rússia na sexta-feira aprovaram um plano para enviar as armas químicas mais perigosas da Síria para a Itália para a sua eventual destruição a bordo do navio EUA especialmente equipado, o Cabo Ray.

O plano sem precedentes, parte de um acordo EUA-Rússia para a Síria a se livrar de seu stock de mais de 1.000 toneladas de armas químicas, em que as fragatas dinamarquesas e norueguesas escoltarão o navios de carga carregado com os agentes mortais do porto sírio de Latakia para águas internacionais ao largo da costa da Itália.

Mas de acordo com ONG francesa Robin des Bois, o plano para se desfazer das armas químicas no mar é "aventureiro" e representa uma grave ameaça à tripulação e ao meio ambiente.

Num relatório publicado na quinta-feira, Robin des Bois apontou o simples casco do Cabo Ray e da ausência de divisórias transversais como indicadores de que o navio não era o adequado para realizar uma tarefa tão crítica.

"Ajustes que estão a ser feitos com o Cabo Ray não pode garantir que o navio vai permanecer à tona e que pode ocorrer graves danos", como uma fuga de água ou um incêndio, disse a ONG, que é especializada em vistorias de navios e do impacto de desastres com navios quebra sobre o meio ambiente.

'Sistema piloto projectado para o uso no solo'

Os 200 metros de comprimento do Cabo Ray é equipado com o recém-desenvolvido "Field Deployable Hydrolysis System (FDHS)", que foi projetado pelo Pentágono para neutralizar os componentes utilizados em armas químicas.

De acordo com Robin des Bois, o FDHS é um "sistema de piloto (...) projectado para o uso no solo", que nunca foi antes testado numa operação tão vasta como esta.

"Para uma primeira tentativa a ser realizada em tal escala a bordo de um navio é uma operação de aventura que comporta múltiplos riscos para a tripulação, os técnicos, e ao meio ambiente", acrescentou a ONG.

A ONU estabeleceu uma data-alvo de 30 de Junho de 2014, para destruir todo arsenal de armas químicas do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Os materiais mais perigosos, muitos dos quais ainda estão espalhados por vários locais do país devastado pela guerra, deixarão o território sírio até ao final de 2013.

Fontes próximas da operação dizem nenhuma data é provável de ser comprida.

(FRANCE 24 with AFP)

Sem comentários :

Enviar um comentário

Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner