IMPRENSA RUSSA REVELA QUE A QUEDA DO MH17 NA UCRÂNIA FOI UM COMPLÔ PARA ASSASSINAR PUTIN -->

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

IMPRENSA RUSSA REVELA QUE A QUEDA DO MH17 NA UCRÂNIA FOI UM COMPLÔ PARA ASSASSINAR PUTIN

IMPRENSA RUSSA REVELA QUE A QUEDA DO MH17 NA UCRÂNIA FOI UM COMPLÔ PARA ASSASSINAR PUTIN



Ainda não esclareceram as circunstâncias em torno do voo MH-17 sobre a Ucrânia, o qual acabou com a vida de 298 pessoas e isso dá origem a todo tipo de explicações a respeito.

Agora, um jornal russo afirma que a queda do MH-17, foi um atentado falho da força aérea da Ucrânia para assassinar Vladimir Putin, supostamente actuando sob as ordens de um oligarca multimilionário, um argumento que levantou rumores na época e que volta a ganhar força.

Um jornal russo e um programa de televisão afirmam que o oligarca ucraniano Ihor Kolomoyskyi acreditava que Putin voltaria pela mesma rota que o MH-17 no seu jacto privado, e ordenou que assassinassem o presidente russo através dos seus contactos com o exército ucraniano, razão pela qual, um avião de combate das forças aéreas ucranianas disparou contra o MH-17 por engano.





O oligarca ucraniano Ihor Kolomoyskyi

Estas afirmações basearam-se no facto de que, após o desastre do MH-17, o piloto do avião de combate Sukhoi Su-25 que supostamente derrubou o MH17 fugiu para Dubai e o mesmo aconteceu com a controladora de tráfego aéreo que estava a cargo de controlar o voo, segundo informam o programa de televisão Moment-Istini "momento da verdade", e o jornal Komsomolskaya Pravda.

De acordo com estes meios de comunicação, foram perdidas as pistas de ambas as pessoas, que continuam com o paradeiro desconhecido.


 Sukhoi Su-25

As investigações destes meios de comunicação que o oligarca Ihor Kolomoyskyi, inimigo declarado de Putin, recebeu informação da inteligência de que o avião do presidente do Kremlin ia sobrevoar a região e aterrar em Rostov-on-Don, e ordenou que avião fosse derrubado.

Esta cidade russa é próxima do lugar do acidente, mas segundo se afirma, o plano de voo de Putin foi alterado no último minuto e o avião decidiu aterrar em Moscovo.

Putin voltava de uma viagem à América Latina no dia em que o MH-17 caiu na região da Ucrânia controlada pelos rebeldes separatistas pró-Moscovo.


Estes meios de comunicação alegam que a cabine do avião da Malaysia Airlines foi atingida por um disparo de canhão de 30mm de um avião Su-25, que supostamente era pilotado pelo tenente coronel Dmitro Yakatsuts do esquadrão de elite 299 da força aérea da Ucrânia.

Os relatórios alegam que o tenente coronel Dmitro Yakatsuts está desaparecido desde então, após viajar para Dubai.

Também afirmam que a controladora de tráfego aéreo Anna Petrenko, residente em Dnepropetrovsk, esteve a cargo do voo da Malaysia Airlines no momento do acidente, e que também desapareceu na mesma localização.
 
A imprensa russa afirma que Anna Petrenko, a controladora de tráfego aéreo a cargo do voo MH17 da Malaysia Airlines no momento do acidente "fugiu" para Dubai com o piloto do exército ucraniano que derrubou o MH17, sob ordens do multimilionário ucraniano.

"Ninguém os procura". É o primeiro caso do mundo em que uma controladora aéreo que estava a cargo do avião acidentado é enviada urgentemente em férias. Nem sequer foi interrogada", reclama o apresentador do programa de TV russo que colocou no ar a reportagem, Andrey Karaulov.

De acordo com estes meios de comunicação russos, foram encontrados os restos das cápsulas de 30mm nos corpos dos pilotos e as evidências do ataque contra a aeronave são visíveis no nariz da fuselagem do Boeing derrubado.


Aparentemente, as silhuetas do avião Ilyushin em que viajava Putin e do Boeing eram similares e isso poderia ter contribuído com a confusão.

Um especialista militar, chamado Aleksandr Shirokorad, alegou que o Boeing foi atingido duas vezes, primeiro por um foguete disparado pelo Su-25 e em seguida por um míssil terra-ar do exército ucraniano.

"É um acto criminoso, o maior crime militar do século 21", disse o apresentador de televisão Andrey Karaulov a respeito.


Tudo isto pode ser parte de uma manobra de propaganda do Kremlin, evidentemente. Mas também pode ter a sua parte de verdade.

No momento, a única certeza é que não se conhecem as circunstâncias exactas que cercam a queda do voo MH17 da Malaysia Airlines e infelizmente, é muito provável que as conclusões finais das "investigações" a respeito não tenham nada a ver com a verdade.


In anovaordemmundial.com

1 comentário :

  1. Já tinha conhecimento dessa hipotese ha algum tempo.
    No entanto hoje li algo que me levou a colocar essa hipotese de fora.
    “O avião do presidente russo é sempre escoltado no decurso de voo, sobretudo, durante a sua deslocação nas regiões em perigo em que se travam operações militares..."

    Fonte: http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_12_16/Boeing-malaio-teria-siso-abatido-por-engano-5890/
    http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_12_16/Boeing-malaio-teria-siso-abatido-por-engano-5890/

    ResponderEliminar

Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner